O Poder da Simplicidade
out./2011 Saulo | Estrategiando, Ideias Inspiradoras

simplicidade

Nestes últimos meses venho trabalhando intensamente em um projeto de planejamento estratégico em uma das maiores empresas do mundo em seu segmento. Como consultores artesãos, eu e meu colega Pedro Zanni, brincalhamos com as mais diversas ferramentas…CANVAS, VRIO, PESTEL, PORTER,  ANÁLISE DE PORTFÓLIO, etc. Mas no fim, todas essas ferramentas e modelos foram apenas suporte, para realizarmos boas perguntas, e o que mais valeu foi o poder de transformar as diversas reflexões, envolvendo durante semanas um grupo de mais de 50 pessoas, em algo simples e de muito valor.

Cada vez mais me convenço do poder da simplicidade, e de como é difícil fazer as coisas de maneira simples.

Recentemente perdemos um executivo que era mestre nesta arte: Steve Jobs. Talvez por isso sua perda tenha sido tão sentida. Quem como ele conseguirá trazer simplicidade para esse mundo tecnológico que vivemos?

No mundo das ferramentas de gestão, alguns se destacam por trazer simplicidade, o próprio Alex Osterwalder com o Canvas, ou quadro do modelo de negócio, trouxe uma outra visão para os tradicionais planos de negócio. Kaplan e Norton com os Mapas Estratégicos, conseguiram sintetizar um tema complexo como a estratégia de uma organização de uma maneira simples em uma folha de papel.

Na verdade,  acredito que muitas vezes são as próprias consultorias que complicam o que deveria ser simples, afinal essa indústria que transforma ferramentas de gestão em produtos remunerados é mestre em fornecer excesso de informação e falta de simplicidade.

Tenho acompanhado algumas organizações que são enormes, verdadeiros colossos, e por vezes me surpreendo como elas são simples em seu jeito de ser, como conseguem manter a simplicidade como um valor. Já outras, as vezes nem tão grandes e até pequenas, se perdem no meio da complexidade, como se fosse sofisticado ser complicado. Por isso, estou convencido que a simplicidade não tem a ver com o tamanho da organização ou problema, mas sim com a forma como vemos o mundo.

Se é assim, me questiono: se grande parte das belezas da vida tem em sua essência a simplicidade, por que complicamos tanto?

Um abs,

Saulo

6 comentários a O Poder da Simplicidade

  1. Fillipe Silva disse:

    Olá Saulo,

    Será que prezar excessivamente pela simplicidade na gestão não faria com que se minimizassem os problemas? Como se eles também fossem apenas detalhes?

    Não sei se me fiz compreender, mas penso que forçar simplicidade, sem se ter um porquê para o mesmo, pode acabar culminando em se achar tudo simples, perdendo-se os detalhes que muitas vezes são complexos.

    Gostei muito do texto, mas tive este questionamento ao ler. Grande abraço.

  2. Saulo Bonassi disse:

    Olá Fillipe,

    Obrigado por nos acompanhar no blog!

    Albert Einstein uma vez disse: “Tudo deveria se tornar o mais simples possível, mas não simplificado.”

    Ou seja, não podemos confundir simplicidade com simplismo. Ser simples de modo algum é ser simplista. A simplicidade envolve dominar os detalhes, muito trabalho e experiência.

    A simplicidade, para Leonardo da Vinci, é o último grau de sofisticação.

    Um grande abraço,
    Saulo

  3. Fillipe Silva disse:

    Muito bom,

    Vou procurar mais sobre essa diferença entre simplismo e simplicidade, não é trivial.

    Muito obrigado pelas dicas. Até a próxima.

  4. Levi Oliveira disse:

    Basta adaptar o exemplo de simplicidade citado acima, sobre Steve Jobs.

    Ou seja a simplicidade deve ser entregue pela organização como valor agregado para o consumidor, assim, como há sim complexidade, nos processos para gerar a simplicidade.

  5. Jadson Dantas disse:

    “Cada vez mais me convenço do poder da simplicidade, e de como é difícil fazer as coisas de maneira simples”. Saulo, esta sua declaração me fez lembrar uma citação da Clarice Lispector que diz “… só consigo a simplicidade depois de muito trabalho”.
    Fazer as coisas se tornarem simples é como simplificar uma equação, a sociedade hoje está cheia de equações em seu cotidiano e acredito que em diversos setores, inevitavelmente essa necessidade cada vez mais será sentida e necessária. Para quem tem interesse sobre esse assunto (simplicidade). Eu indico o livro AS LEIS DA SIMPLICIDADE de John Maeda, tenho certeza que vão gostar.

    • Saulo Bonassi disse:

      Olá Jadson, obrigado pela dica! Dei uma olhada na apresentação do John Maeda no TED e achei bem interessante. Um abs e um excelente 2012!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *