Quando as 4 Lentes de Inovação Encontram o Planejamento Estratégico
jun./2014 Luís | Estrategiando, Inovação e Inovadores

Tudo começou com um desafio do presidente da empresa para quem fazíamos planejamento estratégico naquele momento: “quero um processo de planejamento que seja inovador! Não me venha com Porters , SWOTs, ou coisas do tipo. Se queremos uma estratégia realmente inovadora, precisamos de um processo que assim o seja!!”

E de lá saímos eu e meu colega Germán com um daqueles desafios que fazem valer a vida de consultor.

Temperos adicionais do desafio: o processo deveria envolver uma quantidade significativa de pessoas, de pelo menos 6 países distintos, o workshop final seria em um hotel delicioso em Juquehy.

Fomos ao nosso laboratório de ideias, pensamos, pensamos, e chegamos a conclusão que o que melhor teríamos para nos apoiar nesse “Planejamento Inovatégico” seria uma ferramenta que quanto mais usamos, mais descobrimos seu potencial: AS QUATRO LENTES DA INOVAÇÃO.

Essa ferramenta, criada originalmente por Gibson e Skarzynski em seu livro Inovação Prioridade n. 1, o meu livro de cabeceira de inovação, consiste em quatro gatilhos que se bem disparados podem nos ajudar a gerar várias boas ideias de inovação. As lentes são as seguintes: Desafiar as Ortodoxias, Acompanhar as tendências, atuar nas Necessidades Desarticuladas dos clientes . Para cada uma das lentes existem boas perguntas:

lentes

O processo proposto foi que em cada país as equipes deveriam preparar a reflexão sobre as lentes: identificando as tendências, as ortodoxias, as necessidades desarticuladas e refletindo sobre as competências essenciais e também já gerarem ideias para inovações na empresa.

Mas uma grande questão ainda ficava, como sair das ideias e partir para a estratégia?

Tudo começou a ficar mais claro quando começamos a construir o Workshop final, aquele um que seria em uma praia deliciosa.Talvez aqui esteja a principal reflexão sobre tudo isso: no fundo, em um processo de planejamento estratégico, o desafio é tocar “Aquelas” questões chave que a organização precisa tratar, onde em boa parte das vezes, as ferramentas são apenas um caminho para chegar lá.

Partindo das ideias geradas nos países, mais todos os insumos gerados com lentes, os participantes do workshop, a alta liderança da organização, tinha ao término do primeiro dia do workshop, uma série de boas oportunidades para o negócio.

Os desafios então foram agrupar as ideias em temas maiores, que começavam a dar indícios de Temas Estratégicos, e ao mesmo tempo definir o que iríamos executar, testar, refletir um pouco e, finalmente, descartar, como ilustra a figura abaixo:

Consolidando

 

Feitas as escolhas, o que ocorreu surpreendentemente rápido, chegamos a nossa conhecida trilha estratégica, criada originalmente pelo nosso GURU Saulão, ou seja, chegamos a 7 temas estratégicos, frutos do agrupamento de ideias consideradas de implementação imediata, além de ideias para reflexão e experimentação.

Trilha

Infelizmente, por questões de confidencialidade, não podemos compartilhar aqui as ideias, mas cada tema hoje é um projeto estratégico, com Líder e equipe de implementação.

O que não fizemos e que acho que poderíamos trabalhar no futuro?

Que tal pensar as quatro lentes como um bom substituto para a  análise SWOT !

Na SWOT temos 4 quadrantes: Forças e fraquezas representando o ambiente interno e Ameaças e Oportunidades representando o ambiente externo. Para gerar os movimentos estratégicos devemos realizar boas perguntas à matriz SWOT:

 

SWOT

 

 

Minha proposta é gerar movimentos através de boas perguntas às lentes, como sugerido na figura abaixo:

 

CONT

 

 

O que me atrai a utilizar esse modelo em breve é que ele além de conciliar o ambiente interno com o externo, traz o componente das competências essenciais e das necessidades não atendidas dos clientes para a estratégia, algo que com certeza faz a estratégia ficar mais próxima da inovação.

Ahhh, já ia me esquecendo, uma das coisas que fez uma tremenda diferença no clima do workshop final, que aliás foi um sucesso:  todos deveriam usar Havaianas que os presenteamos no início do evento.

 

Um comentário a Quando as 4 Lentes de Inovação Encontram o Planejamento Estratégico

  1. Elimar Fazer disse:

    muito bacana e inovadora mesmo a “”estratégia”” de mudar o foco pra parte “”fraquezas”” pelas competência, pra que tentar arrumar o que já está ruim se temos pontos fortes que podem ser otimizado! execelenet!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *