Utilizando o Business Model Canvas
set./2010 Germán | Modelos de Negócios

Se no último post passamos 10 dicas que o pessoal na Europa sugeria na utilização da metodologia do BMG, neste caso escrevemos dicas de nossa própria utilização aqui no Brasil.

Um modelo de negócio é a forma como uma empresa ganha dinheiro, ou se quisermos utilizar uma definição mais completa conforme encontra-se no livro Business Model Generation: trata-se de uma descrição da lógica pela qual uma organização cria, entrega e captura valor.

No entanto, para que as organizações consigam descrever esta lógica é necessário que exista algum tipo de formato – template – que facilite esta tarefa. A descrição de modelos de negócio exige um formato simples, intuitivo e consistente que consiga capturar as complexidades de como as empresas ganham dinheiro.

Este é o objetivo do Business Model Canvas:

Business Model Canvas

O Business Model Canvas é uma ferramenta que permite a descrição modelos de negócio através de nove grandes blocos:

  1. Segmento de Clientes: para quem estamos criando valor?
  2. Propostas de Valor: que valor entregamos a nossos clientes?
  3. Canais: como alcançamos e queremos alcançar nossos clientes?
  4. Relacionamentos con Clientes: que tipo de relacionamento esperamos ter com nossos clientes?
  5. Modelo de Receitas: por que valor os clientes estão dispostos a pagar?
  6. Principais Recursos: quais os principais recursos que nossa proposta de valor requer?
  7. Principais Atividades: quais as principais atividades requeridas por nossa proposta de valor?
  8. Alianças: quem são nossos principais parceiros?
  9. Estrutura de custos: quais são nossos principais drivers de custo?

O que temos aprendido na aplicação do Canvas em projetos com nossos clientes são, entre outras coisas, o seguinte:

A. É fundamental iniciar sempre com o lado direito do Canvas que representa o valor que vai/ deve ser gerado, ou como explica o livro, o lado direito do cérebro que representa a emoção.

Só depois de definir as categorias 1 a 5 (da lista relacionada anteriormente) é que devemos partir para o lado esquerdo do cérebro (o lado da lógica) que no Canvas representa as categorias 6 a 9 relacionadas com a eficiência.

B. Comece com o siguente “tripé”: Cliente-Proposta de Valor-Modelo de Receita.

Escolher um cliente ou um segmento de clientes, clarificar sua proposta de valor e discutir a melhor forma de gerar receita através desta proposta de valor, facilita a descrição do lado de valor do modelo de negócio. Vale a pena aprofundar primeiro nestes três items antes de definir as categorias de Canais e Relacionamento com Clientes, ou qualquer outra categoria.

C. Utilize post-its coloridos, mas mantenha sempre a mesma cor por cliente em todo o Canvas. Não é fácil realizar as conexões entre as nove categorias e portanto se muda de cor constantemente vai ser fácil se perder.

Se tiver definido que “mulheres entre 30 e 40 anos” é um segmento de clientes que quer explorar, defina uma cor – por exemplo vermelho – e utilize esta mesma cor ao definir a proposta de valor, a forma como vai gerar receitas com este tipo de cliente, a forma como vai se relacionar e os canais que vai utilizar.

Esta consistência de cores é importante nestas primeiro cinco categorias, mas não é necessário manter no lado esquerdo do Canvas onde as parcerias, os recursos, as atividades e a estrutura de custos tendem a ser compartilhados pelos diferentes tipos de clientes.

D. Em alguns casos é interessante sustentar parte da informação com números – diversos dados que reforcem o ponto de vista. Por exemplo, se existe um grupo de clientes que representam 20% das receitas, mas 80% do lucro, é bom escrever isso no Canvas.

Se somente existem 4 parceiros no mercado para um tipo de tecnologia que você pretende comercializar, é bom clarificar no Canvas.

Se internet é o canal utilizado por 80% dos seus clientes, escrever esse dado no Canvas exemplifica melhor o desafio.

Não se trata de buscar justificar tudo – nem pensar – mas se os dados estão à mão ou na cabeça dos participantes, não deixe de usá-los.

Exemplo de exercício real:

BizCanvasPic

Gostaríamos de conhecer as suas dicas na utilização do Business Model Canvas.

11 comentários a Utilizando o Business Model Canvas

  1. Olá,
    eu comprei o livro, versao em portugues, voce teria como disponibilizar o quadro Canvas em formato PDF para eu poder mandar imprimir em formato A3/A2?
    Obrigado

  2. Samuel disse:

    Olá, comprei o livro na bienal , aqui no Rio e estou montando uma apresentação para no powerpoint . Gostaria de apresentar esta apresentação com o modelo CANVAS. Você tem algum arquivo com layout canvas para powerpoint??
    Abrçs

  3. z´ sobrinho disse:

    bom posting.
    sugiro implementação dinâmica.
    abs
    http://www.mindmeister.com/pt/167697303/business-model-canvas

  4. Pingback: Utilizando o Business Model Canvas

  5. David Mosiah disse:

    Parabéns pelo artigo!
    Gostaria de recomendar a todos um aplicativo para Android que ajuda bastante a construção de ideias para seu modelo de negócio Canvas:
    https://play.google.com/store/apps/details?id=com.delx.modelcanvasgenerator

    Vale a pena baixar!

  6. Olá! Você tem a versão em PT do Canvas? Gostaria de apresentar aos meus alunos da primeira turma de “Moda e E-Commerce” do SENAC Faustolo o método, mas preciso que ele seja totalmente em PT.

    Obrigada!

    Tainá

  7. Gustavo disse:

    Quem quiser se aprofundar na metodologia do Canvas, sugiro este artigo: http://www.arsenalempreendedor.com/canvas-o-que-e-o-canvas-e-como-funciona/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *