O Planejamento estratégico e o RH
jun./2008 Luís | Estrategiando

Olá Pessoal,

E seguem as colaborações para o nosso Blog, agora ela vem de Luiz Sabatino, Diretor de Planejamento Estratégico da Visa Vale.

Sabatino é graduado em Engenharia Mecânica pela Universidade Gama Filho e com MBA em Marketing pela Escola de Negócios IAG Máster / PUC – RJ, possui especializações em Marketing e negócios nos USA, Inglaterra, França e Espanha.

Nesse texto, Sabatino realça a importância da participação pró-ativa da área de Recursos Humanos no processo de planejamento estratégico, vale a pena conferir.

Obrigado pela contribuição Sabatino !

___________________________________________________________________

O Planejamento estratégico e o RH

Começo o texto com uma indagação para reflexão: para que servem as pessoas nas organizações? Certamente não é para gerar negócios, nem faturamento, nem aumentar a rentabilidade ou algo nessa linha matemática e cartesiana. Tudo isso é resultante das atitudes e ações delas. Por isso, o principal papel dos talentos é materializar a missão da empresa com o objetivo de gerar valor para a sociedade.

A partir desse princípio e analisando o ciclo de planejamento estratégico de uma organização, podemos concluir que deveria existir um pipeline de RH alinhado com a visão de onde a empresa quer chegar. Pois é, deveria, mas nem toda a empresa faz a conexão efetiva entre presente e futuro, e, quando o futuro chega, as coisas se complicam um pouco.

Na maioria das vezes, o que ocorre é uma complacência consciente, através da qual o grupo gestor entende a necessidade do shift em função do destino a ser alcançado, porém a operação do dia-a-dia que sustenta e faz resultado não pode ser comprometida. Isso é terrível e nesse exato momento instala-se a famosa “paralise”, a paralisia por análise. Precisamos, mas não sabemos como, temos receio de que a operação atual venha a ser impactada, assuntos urgentes tomam a frente e, enquanto isso, o tempo passa a ser o inimigo número 1 para o atingimento das metas do futuro.

O papel do planejamento estratégico nesse caso é colocar os recursos humanos no centro do futuro, ou seja, nenhum movimento de negócio será vitorioso se em paralelo não preparamos a organização com estrutura e conhecimento suficiente para suportar a evolução. Essa é a principal razão da necessidade da presença da área de pessoas no desenvolvimento do planejamento de longo prazo.

O futuro no ciclo de planejamento é traduzido através do exercício da escrita da visão da empresa, ela é a tradução da ambição mercadológica e do sonho da organização, e deve ser construída pelos líderes com muita paciência e tempo para discussão, pois levará intrinsecamente a todos os colaboradores a mensagem de onde se quer chegar.

A distância entre presente e futuro serve para a empresa ir realizando os movimentos necessários à mudança. Vou usar um exemplo de uma empresa para ilustrar o que falamos até aqui. Todos conhecem a Nokia, uma companhia que começou seus negócios por volta de 1856 e hoje é uma das líderes em soluções de telefonia móvel no mundo. Você tem alguma idéia de qual era o seu principal negócio entre 1856 e 1967? Processamento de borracha, principalmente para a fabricação de pneus.

“O que tem uma coisa com a outra?”, você deve se perguntar. “Tudo”, eu respondo. Provavelmente, no exercício de escrita da visão o grupo deve ter chegado a uma conclusão muito próxima de algo como:

“Ser reconhecida como a empresa que promove conexão entre as pessoas”.

O pneu não faz isso? E o telefone celular? Isso se chama corebusiness, que é a alma do negócio.

A Nokia nunca perdeu a sua alma, agora imaginem o esforço que a organização fez ao longo da sua vida visando adequar a sua estrutura e seus colaboradores olhando o futuro.

E hoje, preste a atenção em qual é o statement positioning dessa corporação.

“Nokia connecting people”.

É isso que esse texto tenta passar. Você, da área de RH, não pode estar descolado da área de planejamento, independentemente do tamanho da empresa, pois são áreas integrantes e fundamentais do negócio.

Então, não foi chamado para a reunião de planejamento? Uma sugestão: se auto-convoque, mostre a importância da sua participação no processo, discuta, contribua, sinalize tecnicamente olhando lá na frente, pois a empresa precisa do seu conhecimento, da sua inspiração e da sua dedicação para escrever mais um brilhante capítulo de sucesso em sua história.

Boa reunião!

Um comentário a O Planejamento estratégico e o RH

  1. francisco daniel silva barbosa disse:

    A grande dificuldade dos gestores de RH e convencer os pessoal do nivel estrategico da sua importancia junto aos atores principais e nao como mero coadjuvante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *